VALE do SER – POST III

Milonga con Dolor

A milonga é um gênero musical normalmente tocado com o violão de seis cordas, também conhecido como Violão de Payadas. Neste Jantar Concerto, apresentei uma em homenagem ao meu pai que compus e arranjei num instrumento totalmente atípico – o Ukulelê, instrumento de descendência portuguesa oriundo da Ilha da Madeira, também  primo-irmão do cavaquinho, do machete e do braguinha, e que após sua chegada no Hawaí, e levado pelas mãos do beatle George Harrison, se expandiu e diversificou no universo da música pop. O nome do instrumento, dentre variadas versões também significa “pulga saltitante” devido ao movimento das mãos do músico que o executa. Aliás, tocar e compor com este instrumento me possibilitou atenuar um “recalque” musical antigo com relação ao cavaquinho, pois sempre quis tocá-lo.  Por ter desenvolvido uma técnica musical mais focada nos dedos nunca aprimorei ou me dediquei muito ao uso da palheta, daí minha “restrição” no trato com o cavaco. Em mais este vídeo “documental” feito pelo João Ricardo e o Lorenzo Telles chamo a atenção novamente para a deliciosa ambientação sonora da cachoeira do Vale do Ser junto a todos nós. A Milonga con Dolor é introspectiva, dolente, portanto campeira. Sugere imagens e paisagens, espaços para as emoções soluçarem. A sonoridade transita entre o ibérico e o mouro. Os dedos tocam, a alma sente! Curtam aí!!