VALE do SER – POST IV

MOENDY IRAÎTY c/citação O VENTO (D. Caymmi)

Inspirada na obra “Os girassóis na ventania” do escritor Marco de Curtis, e da junção de 02 vinhetas criadas a partir desta obra – “Girassóis na ventania” e “Beijos de borboleta” – ambas utilizadas numa intervenção cênica junto a este autor é que surgiu esta nova canção “Moendy Iraîty” que em tupi antigo significa “acender a vela“.

Pode-se dizer que esta é uma ‘canção-mosaico’ ou ‘canção em camadas’ fruto da união de duas vinhetas criadas anteriormente e de quebra, com citação de uma obra de Dorival Caymmi – “O Vento” – a qual também faz parte de um grupo de canções do cancionista e pintor baiano que considero de uma perfeição e beleza enormes, as Canções Praieiras, lançadas em álbum homônimo por volta de 1954.

De certo modo, Moendy Iraîty é uma pequena homenagem minha ao grande e genial buda nagô, conforme o chama Gilberto Gil, e que também homenageia e saúda a obra “Os girassóis…” de Marco de Curtis.

Literatura, cancioneiro e memória, imagens em fluxo contínuo.

Os dedos tocam, a alma sente! Curtam aí!!